lunedì 26 maggio 2008

refúgio

Tenho dificuldades em perceber as coisas, talvez tenha também em perceber as pessoas,
mas uma coisa é certa, sei que algo nao bate certo, nao bate mesmo...
vozes, coisas ditas pela boca pra fora, rumores..isso tudo da cabo de mim...nunca soube lidar com este tipo de coisas, digamos assim...
Tentei sempre fugir das situaçoes e tentar encontrar um refúgio, mas afinal nao deu, ou melhor afinal nao da.
Tudo tem que ser enfrentado, tudo tem que ser falado, tudo tem que ter um
a explicaçao. Mas porque?? Qual é o sentido das explicaçoes, das satisfaçoes..
Andamos sempre a queixar-nos da falta de liberdade, da falta de independencia, para que enta
o? para depois estar a dever algo a alguém? é isso?? nao desculpem la, mas eu nao quero.
Nao quero, e nao posso..
Tem imensa piada dar satisfaçao às pessoas que gastaram o proprio tempo a magoar os outros, a mentir e a fingir ser o que afinal nao eram. Isso é que tem graça, e o que tem mais graça é pensar que é uma coisa que tem que ser feita...
mas eu quero ser poupada..quero continuar a fugir, refugir e proteger o que ainda nao esta nas maos dos outros, a minha alma...



ilustraçao: Marco Cazzato

1 commento:

provokactor ha detto...

o uniko refugio...enkontra-se na tua mente...e, là, se refugia a tua alma,pra deskansar kuando laceràda de kém te mente.
e, d'en vida mente, kém não tém dó na mente.

un sopro provokactor presente-mente