venerdì 28 marzo 2008

Mostra personale di Marco Cazzato allo Spazio Azimut Torino


Il 4 aprile alle 18:30 ci sarà l’ inaugurazione
della mostra personale di Marco Cazzato.
Sarà composta da più di settanta illustrazioni selezionate
dalla produzione dell’ ultimo anno e una serie di tele inedite
realizzate appositamente per questa esposizione, verrà inoltre
presentato il catalogo.

Non so chi si trovi a Torino o nelle vicinanze, so solo che stavolta mi dispiace proprio non esserci..

Per chi ancora NON lo conoscesse, può dare un' occhiata al suo blog o al suo myspace, così..per avere un'idea...qui a destra trovate i link...

ena pa 2000 no Cabaret Maxime


Inutil dizer que vou estar la...preciso mesmo de rir um bocado...e nao ver sempre as mesmas cars..ai nao la nao vou ve-las..ai que bom!!!

giovedì 27 marzo 2008

Declamação e concerto Frágil Poesia

No último dia do 2º encontro Frágil Poesia, a homenagem vai para uma das poetisas do séc. XX que mais contribuiu para renovar a linguagem poética e nos deixou um legado que valerá a pena descobrir. Na voz da actriz São José Lapa, e com música de Celina Piedade, vamos relembrar versos e poemas de Luiza Neto Jorge. O Quarteto Express abre a primeira parte com um concerto de cordas e JP Diniz encerra a noite com um Dj set. Já sabem, no mês de Março, a Poesia e Música é no Bairro Alto, ao Frágil!










onde
Frágil | Rua da Atalaia, 126
quando
A partir das 23h
quanto
Entrada livre

www.lecool.com

mercoledì 26 marzo 2008

Dia 27 de março - dia mundial do teatro


A BARRACA tem em cena a peça “Antígona” de Sófocles, inesgotável reflexão sobre a justiça e a lei.
No dia Mundial do Teatro, quinta-feira, 27 de Março a entrada é gratuita.

O espectáculo classificado para M/12 estará em cena de 5ª a sábado às 21h30 e ao Domingo às 16h00.
Bilhetes:
12,5 €
Menores 25, Maiores 65, Estudantes, Reformados e Grupos (+ 15 pessoas): 10 €
Quintas - Feiras: 5€ (preço único)

Em cena até 6 de Abril

http://www.abarraca.com/online/main.html

giovedì 20 marzo 2008

no #24 da Umbigo...


umbigo

umbigo| digo| e | depois| sigo| pelos| publicos| abaixo| acho| que encontrei

neste numero da umbigo ha uma boa surpresa para quem gosta de ler... podem ser poucas linhas mas nada importa quando estas sao realmente deslumbrantes...
[ref. pg. 2]

Domus Lisboa


:: DOMUS
Um só espaço, várias perspectivas. Um poliedro gigante, com centenas de faces. A sua forma representa por si só a sua essência: multi-aplicações e múltiplas visões.
:: O Domus como Espaço Cultural

Versatilidade, diversidade e mobilidade. Adapta-se a diferentes contextos, com acontecimentos em vários formatos e estilos e percorre o país com concertos, mostras, exposições ou outras representações. Explora novas iniciativas, novas possibilidades e novas visões sobre o seu espaço e abraça diferentes conceitos, movimentos e pensamentos.
:: O Domus como Filosofia
Pretende representar uma filosofia de controvérsia positiva que procura as faces paralelas de uma mesma realidade de modo a criar um novo prisma. Não procura completar a forma, mas quebrar o conteúdo, de modo a conjugá-lo e aplicá-lo em novos contextos.
:: Projecto Domus

O espaço Domus é um projecto em constante movimento. Promete visitar as principais cidades do país ainda este ano, como Lisboa, Porto, Coimbra e Algarve, numa digressão de música, divertimento e pensamento. Neste momento o Domus encontra-se em Lisboa à beira-rio, no Poço do Bispo, até Agosto de 2008.

www.myspace.com/domuslisboa

mercoledì 19 marzo 2008

Quem lê por gosto não cansa


Está a decorrer na livraria da Assírio & Alvim a Feira do Livro Manuseado.

Aqui encontrará livros com pequeníssimos defeitos, muitas vezes imperceptíveis, mas que mantêm dentro de si toda a intensidade e fulgor das palavras. Encontre os melhores livros aos melhores preços. Afinal, quem lê por gosto não cansa!

De 17 de Março a 2 de Abril de 2008. De segunda-feira a sábado, das 10:00 às 13:00 horas e das 14:00 às 19:00 horas. Encerra aos feriados.

Na Rua Passos Manuel, 67-b; 213583030.


60 anos do HOT CLUBE Portugal


O JAZZ SEGUNDO VILLAS-BOAS

João Moreira dos Santos

Assirio & Alvim (Colecção Rei Lagarto)

400 pp., 17 x 24 cm, edição brochada

P.V.P.: 24,00

ISBN: 978-972-37-1207-0

lunedì 17 marzo 2008

Dizem que a paixão o conheceu - Al Berto



dizem que a paixão o conheceu
mas hoje vive escondido nuns óculos escuros
senta-se no estremecer da noite enumera
o que lhe sobejou do adolescente rosto
turvo pela ligeira náusea da velhice

conhece a solidão de quem permanece acordado
quase sempre estendido ao lado do sono
pressente o suave esvoaçar da idade
ergue-se para o espelho
que lhe devolve um sorriso tamanho do medo

dizem que vive na transparência do sonho
à beira-mar envelheceu vagarosamente
sem que nenhuma ternura nenhuma alegria
nunhum ofício cantante
o tenha convencido a permanecer entre os vivos

Teatro Sem Fios


TONS DAS IDEIAS EM DESTAQUE

M A R Ç O

TEATRO SEM FIOS (Pedro Coelho)
Dia 4 (21h00) | Dia 16 (15h00)

Sylvia Plath Três mulheres, um poema para três vozes * João Patrício, Luís Elgris e Francisco Luís Parreira (vozes)

Sylvia Plath nasceu em Outubro de 1932 em Jamaica Plain, Massachusetts, e suicidou-se em 11 de Fevereiro de 1963. Poeta e romancista, escreveu também com o pseudónimo de Victoria Lucas, "A Redoma de vidro", um romance autobiográfico com detalhes da sua luta contra a depressão.
Plath teve o hábito de escrever diários desde a infância. Alguns, os da sua fase adulta, foram publicados em 1980, os que não foram editados, foram guardados por Ted Hughes, o marido, que os libertou apenas pouco tempo antes da sua morte em 1998. Sabe-se que Sylvia e Ted tiveram uma relação conturbada. Ted Hughes foi bastante criticado por ter destruído a última parte dos diários de Sylvia, as páginas escritas desde o Inverno de 62 até à sua morte. Hugues defendeu-se, dizendo que os tinha destruído num acto de protecção aos filhos, e que o esquecimento era essencial para a sua sobrevivência. Os últimos diários foram publicados com o título "The Unabridged Journals of Sylvia Plath".
João Patrício, Luís Elgris e Francisco Luís Parreira têm desenvolvido investigação sobre o teatro kabuki, uma forma de teatro japonês, conhecida pela estilização do drama e pela elaborada maquilhagem usada. Acredita-se, que kabuki derive do verbo kabuku, (ser fora do comum), donde se depreende o sentido de teatro de "vanguarda" ou teatro "bizarro".
A sua origem remonta ao início do século XVII, quando se parodiavam temas religiosos com danças de ousada sensualidade.

Luís Ramos

venerdì 14 marzo 2008

martedì 11 marzo 2008

As vezes as lembranças chegam como uma tempestade provocando aquela chuva que tira o sol...
as vezes é melhor assim, nao se pode estar sempre a fingir que tudo passou, as vezes é bom lembrar-se dalgumas coisas.
mas as vezes aquelas coisas magoam, e muito...nao ha soluçao para as lembranças nao esquecidas, infelizmente...
e entao que fazer?nada, nao ha nada para fazer, so ficar em baixo da chuva, molhar-se e lembrar, porque a dor que sentes deve ter uma razao...e ficar à espera do arco-iris imaginando que tenha mais uma cor...



Everybody Here Wants You (Jeff Buckley)

Twenty-nine pearls in your kiss
A singing smile
Coffee smell and lilac skin
Your flame in me

Twenty-nine pearls in your kiss
A singing smile
Coffee smell and lilac skin
Your flame in me

I’m only here for this moment

I know everybody here wants you
I know everybody here thinks he needs you
I’ll be waiting right here just to show you
How our love will blow it all away

Hmm, such a thing of wonder in this crowd
I’m a stranger in this town
You’re free with me
And our eyes locked in downcast love
I sit here proud
Even now you’re undressed in your dreams with me

Oh, I’m only here for this moment

I know everybody here wants you
I know everybody here thinks he needs you
I’ll be waiting right here just to show you
How our love will blow it all away

I know the tears we cried
Have dried on yesterday
The sea of fools has parted for us
There’s nothing in our way
My love

Don’t you see, don’t you see?
You’re just the torch to put the flame to all our guilt and shame
And I’ll rise like an ember in your name

I know I, I know I
I know everybody here wants you
I know everybody here thinks he needs you
I’ll be waiting right here just to show you
Oh let me show you
That love can rise, rise just like embers

Love can taste like the wine of the ages, oh babe,
And I know they all looks so good from a distance
But I tell you I’m the one

I know everybody here, well, thinks he needs you
Think he needs you
And I’ll be waiting right here just to show you.

venerdì 7 marzo 2008

7


7

Eu não sou eu nem sou o outro,
Sou qualquer coisa de intermédio:
Pilar da ponte de tédio
Que vai de mim para o Outro.

Mario de Sa-Carneiro, em "Indicios de Oiro".

La Cura di Franco Battiato
(da L'Imboscata - PolyGram 1996)

Ti proteggerò dalle paure delle ipocondrie,
dai turbamenti che da oggi incontrerai per la tua via.
Dalle ingiustizie e dagli inganni del tuo tempo,
dai fallimenti che per tua natura normalmente attirerai.
Ti solleverò dai dolori e dai tuoi sbalzi d'umore,
dalle ossessioni delle tue manie.
Supererò le correnti gravitazionali,
lo spazio e la luce
per non farti invecchiare.
E guarirai da tutte le malattie,
perché sei un essere speciale,
ed io, avrò cura di te.

Vagavo per i campi del Tennessee
(come vi ero arrivato, chissà).
Non hai fiori bianchi per me?
Più veloci di aquile i miei sogni
attraversano il mare.

Ti porterò soprattutto il silenzio e la pazienza.
Percorreremo assieme le vie che portano all'essenza.
I profumi d'amore inebrieranno i nostri corpi,
la bonaccia d'agosto non calmerà i nostri sensi.
Tesserò i tuoi capelli come trame di un canto.
Conosco le leggi del mondo, e te ne farò dono.
Supererò le correnti gravitazionali,
lo spazio e la luce per non farti invecchiare.
TI salverò da ogni malinconia,
perché sei un essere speciale ed io avrò cura di te...
io sì, che avrò cura di te.

...intimità...vontade de dormir...

Mi si stringe il cuore quando penso a quello che ho perso,
se potessi tornare indietro sicuramente userei un'armatura per potermi difendere...
non riesco a smettere di pensare, non potrei, non sarei viva...
mi si stringe il cuore quando penso a ciò che succederà,
se riuscissi a saperlo sicuramente mi comporterei diversamente...
non riesco a smettere di sperare, non potrei, non sarei viva...
mi si stringe il cuore quando penso che sono viva, ma non riesco a smettere di pensare che non lo sono abbastanza.

Vontade de dormir
Mario de Sa-Carneiro
Fios de oiro puxam por mim
a soerguer-me na poeira —
Cada um para seu fim,
Cada um para seu norte...
.....................................................................

— Ai que saudade da morte...

.....................................................................

Quero dormir... ancorar...


.....................................................................

Arranquem-me esta grandeza!
— P’ra que me sonha a beleza
Se a não posso transmigrar?...

pensamentos...

Não sei quantos pensamentos confundem a minha cabeça...
penso em "quando a porta se abriu e para sempre te vi", foi o que aconteceu e o que tu escreveste naquela caderneta vermelha, numa noite em que tentamos fugir das nossas vidas para estarmos sozinhos mesmo estando no meio das pessoas...
penso em quando o tempo passava rápido e tentávamos não olhar para o relógio, mas a noite chegava e cada um tinha que voltar para o seu lugar...
penso em quantas vezes podia não ter olhado para o telemóvel, para tu não te chateares...e quantas vezes não devia ter atendido...
penso em quando decidimos mudar a paixão pela amizade, mas continuamos a zangar-nos na mesma, pelos ciumes e pelas incompreensões..
penso em quando entrei pela última vez no carro da tua mãe, a nossa despedida e penso em como me senti, era como se ai estivesse alguém a nos separar, e talvez este alguém era eu propria, eu fui-me embora, eu não sabia quando voltar...talvez era eu que estava a estragar tudo..
pensei que a distância podia apagar as coisas, os sentimentos que nos juntam, depois o telefonema, e aquela mensagem...e hoje parece que estas aqui comigo e eu sinto-me aí contigo...
espero voltar cedo, ir aí rápido, assim como tu disseste...porque há coisas que estou tentar esquecer, mas de ti não..de ti não vou me esquecer...não posso...nem quero.

giovedì 6 marzo 2008

adoro quest'uomo


si chiama Marco Cazzato, da quando ho scoperto il suo blog e il suo myspace non posso fare a meno di lui...ecco un piccolo esempio della sua bravura...

março no fragil



5 escritoras para as 5 quintas feiras de março, no fragil...a nao perder!

cheira bem cheira lisboa...


decidi finalmente dar espaço aos meus delirios e desatinos...
um espaço que ira ter, espero eu, o cheiro de Lisboa, assim que quando alguém estiver com saudades possa logo mata-las...
por enquanto nao ha mais nada a dizer...