martedì 15 luglio 2008

Vício de ti - Mesa

Amigos como sempre
Dúvidas daqui pra frente
sobre os seus propósitos
é difícil não questionar.
Canto do telhado para toda a gente ouvir
os gatos dos vizinhos gostam de assistir.

Enquanto a música não me acalmar
não vou descer, não vou enfrentar
o meu vício de ti não vai passar
e não percebo porque não esmorece
ao que parece o meu corpo não se esquece.

Não me esqueci, não antevi, não adormeci, o meu vício de ti (2x)

Levei-te à cidade, mostrei-te ruas e pontes
Sem receios atrai-te as minhas fontes
Por inspiração passamos onde mais ninguém passou
Ali algures algo entre nós se revelou.

Enquanto a música não me acalmar
não vou descer, não vou enfrentar
o meu vício de ti não vai passar
não percebo porque não esmorece
será melhor deixar andar
Será melhor deixar andar

Não me esqueci, não antevi, não adormeci, o meu vício de ti (3x)

Eu canto a sós pra cidade ouvir
e entre nós há promessas por cumprir
mas sei que nada vai mudar
o meu vício de ti não vai passar, não vai passar...

... Naquele comboio, cúmplice das nossas fugas, ouvia sempre esta
música pensando que aquilo era o que queria, chegava ai e as nossas
fugas pareciam pequenos pedaços de paraíso em que esquecíamos
tudo e assim eu dizia sempre para mim que o meu vicio de ti não
iria passar, e não passou...rimos tanto quando viste esta música no
meu mp3..pois eu não meti a música de propósito, mas foi bom porque
é incrível como há músicas das quais não gostamos mas que se as lemos
fora do contexto parecem feitas por aqueles momentos... e neste caso
para os nossos momentos naquele jardim...

Nessun commento: