martedì 4 novembre 2008

Recebi um mail com este poema e achei impossível não por um post! Agradeço o Luís e partilho estas lindas palavras do Nuno Júdice

...Leio o amor no livro

da tua pele; demoro-me em cada
sílaba, no sulco macio
das vogais, num breve obstáculo
de consoantes, em que os meus dedos
penetram, até chegarem
ao fundo dos sentidos. Desfolho
as páginas que o teu desejo me abre,
ouvindo o murmúrio de um roçar
de palavras que se
juntam, como corpos, no abraço
de cada frase. E chego ao fim
para voltar ao princípio, decorando
o que já sei, e é sempre novo
quando o leio na tua pele....

Nuno Júdice

...Leggo l'amore sul libro
della tua pelle; mi perdo in ogni
sillaba, nel morbido solco
delle vocali, nel breve ostacolo
delle consonanti, tra le quali le mie dita
penetrano fino a raggiungere
la profondità dei sensi. Sfoglio
le pagine che il tuo desiderio mi apre,
ascoltando il mormorio dello sfregare
di parole che si
legano, come corpi, nell' abbraccio
di ogni frase. E arrivo alla fine
per ricominciare, ricordando
ciò che già so, e che è sempre nuovo
quando lo leggo nella tua pelle...

(trad. contessina)

Nessun commento: